Uma vacina de investigação contra o vírus SARS-CoV-2 foi bem tolerada e gerou uma atividade neutralizante de anticorpos em adultos saudáveis em que foi testada nos Estados Unidos, de acordo com estudos provisórios divulgados pelo News England Journal of Medicine e citados por fontes oficiais dos EUA.

O candidato à vacina, chamado MRNA-1273, é desenvolvido por investigadores do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infeciosas (NIAID), que faz parte dos Institutos Nacionais de Saúde (NIH), e da moderna empresa farmacêutica, sediada em Cambridge, Massachusetts.

De acordo com um comunicado da NIH, as conclusões iniciais baseiam-se em resultados com os primeiros 45 participantes, cujas idades variaram entre os 18 e os 55 anos.

A Modern indicou, por seu lado, numa nota separada que este estudo preliminar avaliou um programa de vacinação com duas doses de mRNA-1273 administrado com 28 dias de intervalo em três níveis (25, 100, 250 microgramas) em 45 adultos saudáveis com idades compreendidas entre os 18 e os 55 anos, e deu resultados no dia 57.

“Estes dados da fase 1 mostram que a vacinação mRNA-1273 causa uma resposta imunológica robusta a todos os níveis de dose”, disse o médico da Moderna, Tal Zaks, que confiou nela para passar à terceira fase em julho deste ano.

Por seu lado, o CEO da Moderna, Stéphane Bancel, classificou os “dados positivos” desta fase prime “encorajadoras”.

“Representam um importante passo em frente no desenvolvimento clínico do mRNA-1273, o nosso candidato à vacina ção covid-19”, acrescentou.

O comunicado do NIH detalha que duas doses da vacina “causaram altos níveis de neutralização da atividade de anticorpos que estavam acima dos valores médios observados nos soros de convalescença obtidos por pessoas com a doença confirmada”.

“A análise intermédia inclui resultados de testes que medem os níveis de atividade neutralizante induzida pela vacina até ao dia 43 após a segunda injeção”, acrescenta a informação.

Embora seja importante que, em termos de segurança, “não se tenha relatado nenhum acontecimento adverso grave”, alguns participantes sofreram algum tipo de efeito.

“Mais de metade dos participantes relataram fadiga, dor de cabeça, calafrios, miálgia ou dor no local de candidatura”, refere o comunicado, no qual afirmava que os acontecimentos adversos “eram mais comuns após a segunda vacinação e naqueles que receberam a maior dose”.

O julgamento, que conta agora com 120 participantes, foi alargado em abril passado a pessoas com mais de 55 anos.

No dia 8 de julho, a Moderna anunciou que estava a preparar a fase 3 da sua vacina experimental Covid-19, que incluirá 30.000 participantes nos EUA e que estava no caminho certo para começar em julho.

A Modern indicou que tinha concluído estudos protocolares nessa fase avançada do ensaio, de acordo com as observações da Food and Drug Administration (FDA) e tinha concluído a produção das vacinas para essa fase, enquanto ainda realizava a fase 2.

Leave a Reply