O Poder dos Parasitícios – Compreender Ingredientes Ativos para Resultados Ideais

Mesmo as melhores intenções podem causar resultados infelizes. Tome parasiticidas, por exemplo. A utilização do controlo do parasita errado pode, na verdade, ter o efeito pretendido oposto de diminuir os parasitas nos animais.

A Zoetis, uma empresa líder em saúde animal, dá bons conselhos na utilização de parasitas criteriosamente, identificando famílias de ingredientes ativos comuns e fornecendo dicas para o desenvolvimento de um plano de gestão adequado.

A utilização de parasitas nos bovinos sem considerar os ingredientes ativos nesses produtos representa perigos para uma operação. A utilização de diferentes ingredientes ativos parasitícios pode alargar a eficácia dos produtos de controlo de parasitas e desempenhar um papel significativo na gestão de bovinos mais saudáveis.

Algumas práticas de gestão comuns, mas mal orientadas, podem levar a uma operação que aumenta involuntariamente a resistência nos parasitas. Um tipo de parasita – lactones macroclicílicos – viu o primeiro caso documentado de resistência há cerca de 14 anos, e agora os parasitas cooperia e haemonchus têm sido demonstrados como resistentes aos lactonas macrocíclicas em mais de metade de todas as operações examinadas.1 Claro que os parasitas devem ser tratados, mas os produtores precisam de encontrar um equilíbrio nas suas práticas de gestão.

Aqui estão três famílias de ingredientes ativos comuns e como trabalham para controlar os parasitas:

Benzimidazoles — Esta família de ingredientes ativos esgota as reservas de energia em células parasitas e inibe a eliminação de resíduos — ações que parecem ter um papel essencial na ter um efeito letal nos vermes porque prolonga o tempo que o parasita está exposto ao fármaco.2
Lactonas macrocíclicas — Os vermes microscópicos experimentam faringe paralisada, parede corporal e músculo uterino quando expostos a lactonas macrocíclicas, o que leva à morte.2 Este ingrediente ativo funciona ligando-se a recetores que abrem partes do nemátodo para permitir o afluxo de químicos que causam a paralisia.
Imidazothiazoles — Este grupo de produtos de controlo de parasitas estimula contrações musculares em vermes que levam à paralisia.2
O uso criterioso de parasiticidas com diferentes modos de ação controlará os parasitas num rebanho e também ajudará a manter os produtos eficazes por mais tempo na indústria. Tenha estas dicas em mente ao desenvolver um plano de gestão para parasitides:

A dosagem baseia-se no peso exato. A subdosagem é um fator que contribui para a resistência ao parasita.3 Os pesos precisos ajudam a impulsionar a dosagem precisa, o que pode ajudar a garantir a eficácia do produto.
Práticas de gestão cuidadosas. Uma tendência crescente exige a substituição da prática atual de dose repetida de grupos inteiros de animais por uma mudança para tratamentos seletivos direcionados para animais que apresentem sinais clínicos ou redução da produtividade.4
Utilize diferentes ingredientes ativos para reduzir o risco. A maioria dos parasitas geralmente usados são benzimidazoles, lactones macrocíclicos ou imidazothiazols. Assim, a resistência a um determinado composto pode ser acompanhada de resistência a outros membros do mesmo grupo — também conhecido como resistência lateral.4 Teoricamente, a resistência pode ser retardada através da utilização de produtos com diferentes modos de ação anualmente entre as estações de dosagem.4

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *